domingo, 13 de junho de 2010

DISPERSÃO INDUSTRIAL

No fim da década de 1980, já erarn nítidos os sinais da dispersão industrial no Brasil. Esse processo passou a ocorrer em duas escalas:
• no território brasileiro (escala nacional), buscando se expandir para outras regiões;
• na região Sudeste (escala regional), procurando fugir de áreas já muito industrializadas.
No primeiro caso, planos do governo federal procuraram instalar pólos industriais em outras regiões, como o Norte (Zona Franca de Manaus - 1967) e o Nordeste (Recôncavo Baiano), e o pólo petroquímico de Camaçan, na região metropolitana de Salvador (1978).
No segundo caso, a dispersão das indústrias foi marcada pelo congestionamento da área metropolitana de São Paulo. As empresas estão fugindo da poluição, dos altos preços dos terrenos, de sindicatos fortes, e procurando cidades menores, que ofereçam, entre outras facilidades, uma excelente qualidade de vida para seus funcionários. Outras vantagens são boa estrutura de transportes, mão-de-obra barata e, na maioria das vezes, qualificada, e mercado consumidor. Muitas dessas cidades possuem centros de pesquisa e universidades que permitem a instalação de tecnopolos.

Nenhum comentário: